Telefone: (+351) 219 154 600
Normas de vestuario de trabalho

Quais são as principais Diretivas e Normas de Vestuário de Trabalho?

Partilha este artigo

Para trabalhos desenvolvidos em atmosferas potencialmente explosivas é fundamental o uso de vestuário adequado, excluindo-se fontes de ignição e para, em caso de incidente, mitigar as consequências para os trabalhadores, segundo as diretivas e normas de vestuário de trabalho.

A coleção TecRisk® by TECNIQUITEL apresenta uma coleção desenvolvida em parceria com o CITEVE especialmente direcionada para bombeiros e trabalhadores onde a proteção ao calor e chama é necessária. Confecionada em Portugal com tecidos e malhas técnicas de última geração que combinam fibras sintéticas e naturais, apresentando propriedades ignífugas e anti estáticas.

Integra um fato de proteção para o combate ao incêndio florestal, quatro peças distintas para vestuário exterior em tecido e ainda três peças em malha, concebidas e certificadas para uso em ambientes potencialmente explosivos, privilegiando o conforto e o bem-estar graças à ergonomia e estética que lhes são intrínsecas.

Acrescenta-se ainda a elevada visibilidade noturna/diurna conferida por bandas triplas amarelo/prata/amarelo em contraste com as cores de fundo, integrando um conjunto de acessórios complementares pensado para responder às necessidades operacionais, cumprindo as seguintes Diretivas e Normas:

  • Diretiva 89/686/CEE alterada pela Diretiva 93/68/CEE
  • Diretiva 93/95/CEE
  • Diretiva 96/58/CE
  • Norma EN ISO 11612:2008
  • Norma EN ISO 11611:2007
  • Norma EN 1149-5:2008
  • Norma EN 13688:2013

Vamos então explicar melhor neste artigo o que é cada uma destas Diretiva ou Norma e qual a sua real aplicação e utilidade.

 

marcação CEMarcação CE

As normas e especificações oficiais são fundamentais para a utilização correta e segura do vestuário técnico. É extremamente importante que o utilizador conheça o significado dos símbolos. Indica que uma entidade notificada para proteção individual testou o equipamento de acordo com Personal Protective Equipment Directive 89/686/EEC.

 

EN ISO 11612 - Norma para vestuário de proteção ao calor e chamaEN ISO 11612 – Norma para vestuário de proteção ao calor e chama

Esta norma divide-se em diferentes categorias e níveis de acordo com o nível de proteção da peça.

 

A1, A2 – Requisito para alastramento limitado de chama. A1: ignição superfície. A2: ignição extremidades

B (1-3) – Proteção contra calor de convecção e chama viva C (1-4) – Proteção contra calor de radiação

D (1-3) – Proteção contra salpicos de alumínio derretido E (1-3) – Proteção contra salpicos de ferro derretido

F (1-3) – Proteção contra calor de contacto

 

EN ISO 14116 – Norma para vestuário de proteção contra calor e chama limitada

Norma para roupa e acessórios com nível de proteção ao calor e chama limitada.

 

 

EN 1149-5 – Norma para vestuário de proteção contra propriedades electroestáticasEN 1149-5 – Norma para vestuário de proteção contra propriedades electroestáticas

Norma para vestuário de proteção contra a carga e descarga estática.

 

 

EN ISO 11611 – Norma para vestuário de proteção utilizado em soldadura e processos afinsEN ISO 11611 – Norma para vestuário de proteção utilizado em soldadura e processos afins

Roupas certificadas com esta norma protegem o utilizador de pequenos salpicos de metal derretido, contacto breve com chama, calor radiante da soldagem, choque elétrico por contacto curto acidental com tensões de até aproximadamente 100v em condições de soldagem normal. Tem duas classes de proteção para situações de baixo e alto risco.

 

EN 13034 – Norma para proteção contra químicos líquidosEN 13034 – Norma para proteção contra químicos líquidos

Vestuário de proteção contra químicos líquidos, dividida em diferentes categorias e classes, desde resistência à abrasão, rasgo, força de tração e penetração de químicos líquidos no material.

 

Manutenção do Vestuário Técnico

As peças de vestuário técnico devem ser cuidadas  e lavadas corretamente para evitar a presença de resíduos inflamáveis na roupa.

Recomenda-se a limpeza de acordo com as instruções de manutenção indicadas pelo fabricante. Salienta-se que as peças em tecido permitem o uso de lavandaria industrial suportando em média 50 ciclos de lavagem, ou seja, deve estar preparado para durar cerca de 1 a 2 anos em condições de uso normal, sem perda de propriedades.

Para reparação ou aplicação de bordados e estampados, devem ser utilizados exclusivamente os mesmos materiais nos quais as peças foram originalmente feitas. Quando exposta em contacto direto com chama ou elevadas temperaturas, a peça deve ser descartada. Deve igualmente considerar-se a sua substituição quando produtos químicos se infiltram no vestuário.

Partilha este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.