Telefone: (+351) 219 154 600
Capacete de Segurança

Como escolher o Capacete de Segurança ideal para o trabalho

Partilha este artigo

O capacete de segurança faz parte do EPI (Equipamento de Proteção Individual) para proteção da cabeça, sendo obrigatório em muitas áreas profissionais, conforme legislação em vigor. A sua utilização é bastante comum na indústria e construção civil.

Essencialmente este dispositivo destina-se a proteger a parte superior da cabeça do trabalhador contra impactos, quer estes sejam causados por quedas de materiais, por batidas ou mesmo contra choques elétricos dependendo sempre do modelo em causa.

A escolha do modelo de capacete de segurança é muito importante pois ele deve ser adequado à tarefa do trabalhador, por outro lado deve proporcionar conforto e que seja funcional de modo a rentabilizar ao máximo a produtividade. Além disso, não menos importante do que escolher o capacete apropriado também devemos saber como cuidar e prolongar a vida útil deste equipamento.       

Neste artigo vamos abordar alguns fatores e esclarecer as dúvidas mais relevantes que devemos considerar quando se trata de escolher o capacete de segurança ideal à atividade do trabalhador, assim como se deve realizar a sua manutenção.

Em primeiro lugar devemos avaliar o trabalho a ser efetuado e os riscos que a atividade oferece. Só mediante estas informações podemos tomar a decisão de escolha de acordo com os tipos e as classes de capacetes disponíveis no mercado.

Se quer saber mais como escolher este EPI está no lugar certo. Leia agora e comente, pois este espaço está aberto para todos os interessados neste assunto!

Tipos de Capacete de Segurança

Os capacetes são divididos em 3 tipos, apesar de sua classe de risco.

Tipo I: Capacete com aba total, por outras palavras a aba circunda o casco completamente, protegendo totalmente o perímetro da cabeça e do rosto.

Este equipamento é utilizado em indústrias como a siderúrgica e a elétrica. Oferece proteção contra escorrimento de líquidos, contactos com energia elétrica e radiações solares.

Tipo II: Capacete com aba frontal, não possui aba lateral nem traseira. Só apresenta a orla apenas na parte da frente, protegendo o rosto e os olhos de escorrimento de líquidos, contacto com radiações solares e também com energia elétrica.

Este tipo de equipamento é muito usado em serviços de manutenção, na construção civil, e na indústria em geral (indústria química, alimentar, de bens de consumo e petroquímicas por exemplo). Deve ser usado sempre que apresente riscos de queda de objetos ou riscos de bater a cabeça.

Tipo III: Capacete que não possui nenhum tipo de aba, ele protege apenas e somente a cabeça. A vantagem deste tipo de equipamento é que ele permite uma visão acima da cabeça já que não possui abas. Também é conhecido como capacete de alpinista.

O seu uso é recomendado para Trabalhos em Altura (redes elétricas) e em Espaços Confinados. Nestes casos para fixar o capacete na posição correta dever ser utilizado o francalete. Também pode ser usado em desportos, como práticas de alpinismo e trabalhos em áreas florestais.

Capacete de Segurança

Classes de Capacetes de Segurança

Além da classificação atribuída aos tipos de capacete de segurança, também é necessário entender que este EPI recebe diferentes classificações de acordo com a sua finalidade.

Atualmente os capacetes que estão disponíveis no mercado são divididos em 2 classes:

Classe A: É um capacete de uso geral indicado para proteção contra impactos de objetos sobre a cabeça. Ele é usado principalmente na construção civil, mineração, exploração madeireira assim como indústria manufatureira.

O equipamento desta classe engloba todas as exigências de segurança para o trabalhador, contudo possui limitações em relação à proteção contra choques elétricos. Por esta razão, não é indicado o uso em trabalhos que envolvam energia elétrica.

Classe B: O capacete desta classe possui uma composição e fabricação diferente do equipamento da classe A, já que este dispositivo foi criado com o intuito de oferecer proteção contra impactos de objetos sobre a cabeça acrescido de isolamento elétrico, testados com tensão de 30 KV.

Portanto, este é o modelo ideal para profissionais envolvidos em trabalhos elétricos, já que além de proteger contra a queda de objetos, ainda garante segurança contra choques elétricos de alta tensão.

Como é composto o Capacete de Segurança

O capacete de segurança é composto pelo casco ou também conhecido pelo nome de calote (elemento resistente e que dá a forma ao casco), e o arnês (parte interna que absorve a energia do impacto, amortecendo‑o), sem esquecer o francalete.

Enquanto o casco do capacete tem por finalidade proteger os trabalhadores contra impactos na parte superior da cabeça, ele dessa forma não contempla impactos nas suas laterais. Quando o capacete for considerado de Classe B, também oferece isolamento para trabalhos com energia elétrica.

Por outro lado, o arnês é composto por um conjunto de elementos destinados a assegurar a manutenção correta do capacete na cabeça do trabalhador. Este dispositivo suporta e estabiliza o casco assegurando a absorção de uma parte da energia em caso de choque. É constituído por 3 elementos: a coifa, a banda de regulação e as correias de amortecimento.

Contudo para que o arnês cumpra o seu papel os elementos que o compõem devem estar adequadamente ajustados de forma a garantir a adaptação à morfologia individual do utilizador. Além disso é necessário que a banda de regulação disponha na parte frontal uma banda antitranspirante desmontável para limpeza ou substituição.

O francalete é uma correia regulável que passa pelo queixo e não faz parte do sistema acima mencionado, o seu uso não é obrigatório, pois a sua finalidade é somente evitar a queda do capacete. Por outro lado, a sua utilização é obrigatória em todos os trabalhos em altura, para evitar que o capacete caia sobre a cabeça de outras pessoas que executam atividades no solo.

Qual a composição do casco do Capacete de Segurança?

O casco do capacete de segurança pode ser fabricado por uma série de materiais diferentes compostos geralmente por polímeros e/ou copolímeros.

A grande maioria dos capacetes disponíveis no mercado é composta por um polímero polietileno de alta densidade (PEAD), que é uma matéria mais barata com uma resistência a riscos e durabilidade menor quando comparado a outros materiais.

Os capacetes de maior qualidade e mais técnicos são em regra fabricados com materiais mais resistentes e com maior durabilidade, como o ABS, que é um copolímero de acrilonitrila butadieno estireno material termoplástico rígido leve e de elevada resistência ao impacto.

Capacete de Segurança

Design e Conforto do Capacete de Segurança

O design do capacete de segurança vai para além da proteção: tem a função de promover o conforto e as suas funcionalidades que nem sempre são visíveis e somente são sentidas por quem utiliza, entre as quais deixamos aqui alguns exemplos:

1. Abas: a aba do capacete de segurança ajuda a impedir que a luz solar direta atinja os olhos do trabalhador, caso o capacete seja do Tipo II (aba frontal), ou em redor da cabeça se o capacete for do Tipo I (aba total). Por outro lado existem capacetes que não possuem abas (Tipo III), para evitar que estas atrapalhem ou diminuam o campo de visão do utilizador.

2. Forma angular das abas: muitos capacetes do Tipo II dispõem de abas retas que interferem no campo de visão do utilizador, no entanto existem capacetes de segurança que possuem uma curvatura acentuada permitindo uma maior área de visão quando comparados com outros modelos, sem perder a função de reduzir a incidência luminosa sobre os olhos do utilizador.

3. Ranhuras: as ranhuras que existem sobre o capacete de segurança são importantes no sentido em que dissipam a energia de objetos que acertem no equipamento. Em termos gerais os capacetes com menor espessura no casco necessitam de mais ranhuras para se tornarem eficientes contra impacto.

4. Canaleta lateral: muitos capacetes possuem estes canais, calhas, sulcos ou mesmo ranhuras como queiram chamar que são próprios para acoplar outro EPI ao capacete, porém não possuem valor acrescentado relacionado com a proteção do utilizador.

5. Suspensão: alguns capacetes dispõem de suspensão fabricada em plástico flexível que é injetada em uma ou mais peças possuindo maior durabilidade mas em contrapartida o conforto é menor.

Existem outros capacetes que têm o sistema de suspensão fabricado em várias peças de materiais diferentes, como por exemplo: um arco em termoplástico flexível e cintas em tecido. Desta forma o equipamento possui boa durabilidade e conforto excelente.

6. Pontos de apoio (suspensão): neste caso a regra é simples. Quanto mais pontos de apoio a suspensão tiver com o capacete melhor será a distribuição do seu peso e dos seus componentes sobre a cabeça proporcionando uma utilização muito mais confortável.

7. Cintas de suporte (suspensão): a mesma regra se aplica para as cintas. Quanto mais cintas de suporte existirem maior será o apoio entre o capacete e a cabeça do utilizador. Os capacetes com 2 cintas são menos confortáveis dos que utilizam 3 cintas.

8. Ajuste da suspensão: existem diversos modelos de ajuste da suspensão do capacete à cabeça do utilizador, os mais comuns são:

Fivela de pressão: é o modelo mais simples e mais barato contudo com ajuste dificultado.

Sistema de Catraca: é um botão rotativo que permite o ajuste girando para a direita ou para a esquerda para abrir ou fechar. Sistema mais caro mas com facilidade de ajuste limitada.

Fivela com botão: é o sistema mais eficiente, é prático e de custo menor. O ajuste pode ser realizado apenas com uma das mãos utilizando apenas um dedo.

Inclinação do sistema de ajuste: a parte posterior da suspensão na mesma zona de ajuste possui inclinação para melhor acomodação à cabeça sem impedir os movimentos.

Capacete de Segurança

Algumas dicas de manutenção do EPI Capacete de Segurança

Existem alguns pontos importantes que dizem respeito aos cuidados com a limpeza e manutenção do equipamento que devem ser verificados pelo utilizador do capacete.

Deixamos aqui algumas dicas que ajudarão nesses pontos.

Limpeza do Capacete de Segurança

Não é recomendável lavar o capacete, no entanto se isso for indispensável em determinados casos é necessário proceder à completa remoção do sistema de suspensão do capacete antes de iniciar o procedimento. Para remover sujidades mais intensas utilize água em temperatura ambiente e sabão neutro. Nunca deve utilizar solventes, agentes oxidantes e/ou corrosivos para não danificar a superfície do capacete. Para as sujidades mais suaves tais como poeiras, respingos, etc., deve esfregar com um pano macio molhado com água e sabão neutro e de seguida seque utilizando um pano ou papel macio e seco.

Não é aconselhável o processo de lavagem do sistema da suspensão do capacete (arnês). O conjunto interno composto pela suspensão e absorvedor de suor podem ser adquiridos separadamente e facilmente substituídos, sendo desnecessária a substituição de todo o capacete.

Cuidados com o Capacete de Segurança

O capacete de segurança não é um EPI descartável! Por ser um equipamento reutilizável e desempenhar um papel de extrema importância são recomendáveis determinados cuidados: utilize o capacete apenas com o objetivo de proteger a sua cabeça, ele não serve para carregar objetos, tais como recipientes de água, bancos, entre outras. Não arremesse ou deixe seu capacete sobre superfícies acidentadas.

Armazenagem do Capacete de Segurança

Após o uso, o capacete deve ser higienizado. Depois, o capacete deve ser guardado preferencialmente dentro de uma embalagem própria, em local seco, ventilado, protegido da luz solar e intempéries. Nunca deixe o capacete de segurança em ambientes abertos, expostos à humidade, luz solar, calor e/ou frio, poeiras etc.

Partilha este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *