Telefone: (+351) 219 154 600

3 praias portuguesas estão entre as mais seguras da Europa em tempos de pandemia

por Ana Rita Silva

Partilha este artigo

Se está há vários meses em casa e precisa definitivamente de algum espaço, ar fresco, sol, mas também e sobretudo de um lugar seguro para si e para a sua família, então este artigo pode ser bastante útil.

A European Best Destinations (EBD) elaborou uma lista sobre as praias europeias mais seguras durante a pandemia Covid-19. E, sem surpresa, Portugal está bem representado: as praias da Comporta, Porto Santo e Meia Praia estão classificadas como algumas das 10 praias mais seguras da Europa para passar férias nestes tempos atípicos de pandemia.

As praias mais seguras da Europa foram seleccionadas com base em vários critérios, tais como um número inferior de Covid-19 na altura em que esta lista foi criada, mas também durante toda a pandemia, bem como nas regras e medidas de saúde tomadas pelas autoridades.

Entre os critérios analisados pela organização estão o baixo número de doentes infetados na região onde se localizam as praias e o tamanho dos areais, que permitem manter o distanciamento social.

Um outro critério é estarem localizadas próximas de hospitais, em caso de qualquer eventualidade, ou sintomas da doença.

Estes destinos foram também seleccionados com base na grande oferta de vilas privadas, apartamentos turísticos, pequenos ou médios hotéis com carta de saúde específica e compromissos com os viajantes, tais como serviço de limpeza e desinfecção de quartos após cada estadia, respeito pelo distanciamento social.

Como férias não são sinónimo de bloqueio foram seleccionados destinos sem quarentena obrigatória à chegada (se a prova for negativa), assim como destinos que reconhecem o passaporte de vacinação (sem teste adicional a fazer aos viajantes vacinados). Também estão incluídas praias supervisionadas para garantir que você e a sua família estão seguros.

Para a sua segurança e a das pessoas mais vulneráveis, recomendamos marcar a sua vacinação antes de ir de férias.

Quais são as praias portuguesas mais seguras em relação à Covid-19?

Conforme já referimos, a lista da European Best Destinations (EBD) escolheu 3 praias da costa portuguesa como as mais seguras para banhos de sol e mar, tendo como base diversos critérios de segurança que permitem reduzir o risco de infeção do novo coronavírus.

Na lista desta entidade internacional dedicada ao turismo, o primeiro lugar foi atribuído à praia grega Preveza. Em segundo lugar surge a praia da Comporta no Alentejo, que foi alvo de destaque devido à  baixa taxa de infeções da covid-19 (e já agora também por ter conquistado a cantora Madonna!). “Madonna costumava andar de cavalo nesta praia aos domingos de manhã e aproveitava a tranquilidade do areal de 20 km de extensão”, referiu a EBD na descrição da praia da Comporta.

Existem também praias da Polónia, Malta e Letónia numa vasta lista que inclui ainda a praia de Porto Santo na Madeira (classificada em quarto lugar). “Após vários meses de confinamento, este é o destino perfeito para relaxar na natureza”, explica a EBD. A ilha é também distinguida pelos seus serviços de spa e tratamentos, incuindo os “benefícios” terapêuticos da areia.

A Meia Praia no Algarve é a terceira praia nacional no top 10 das praias mais seguras. A EBD acrescenta à segurança da praia, a beleza do centro histórico de Lagos para aconselhar os turistas a visitar a região sul do país, destacando ainda que esta apresenta “40 vezes menos casos de infeção” do que as zonas mais afetadas do continente europeu.

 

 

Outros factores importantes para classificar uma praia segura

Convém contudo referir que esta lista não considera os meios de socorro e salvamento aquático presentes em cada praia, que deve ser também um critério importante para escolha de cada pessoa na hora de decidir onde passar férias.

Considerando que em Portugal morre-se mais fora da época balnear do que no verão, este é um factor realmente essencial: exatamente entre outubro e maio acontecem a maioria das tragédias. Por exemplo, 13 pessoas morreram nas praias enquanto passeavam junto à água apenas no espaço de 5 anos.

Segundo os dados veiculados pelo Observatório do Afogamento, coordenado pela Fundação Portuguesa de Nadadores Salvadores (FEPONS), entre 1 de janeiro e 30 de setembro de 2021 foram 86 portugueses e cidadãos de outras nacionalidades que morreram por afogamento.

A faixa etária em que se registaram mais óbitos foi aquela que está compreendida entre os 70 e os 74 anos – dez –, sendo que, no extremo oposto, uma criança entre os 0 e os 4 anos e outra entre os 5 e os 9 anos perderam a vida. Em 2020, no período homólogo, registaram-se 106 mortes – com mais óbitos na faixa etária dos 50 aos 54 anos.

Recuando a 2019, registaram-se 87 mortes, sendo este desfecho mais comum nos idosos entre os 70 e os 74 anos como em 2021.

A Importância dos Salvamentos Aquáticos em Portugal

Perante esta realidade assustadora descrita em cima no dia 17 de Março / 2022 realizamos mais um TECVIEW WEBINAR , desta vez dedicado ao tema A IMPORTÂNCIA DOS SALVAMENTOS AQUÁTICOS EM PORTUGAL, particularmente orientado para Autarquias, Serviços de Emergência, Bombeiros e Proteção Civil, Nadadores-Salvadores, Entidades de Socorros a Náufragos e Pescadores.

Neste vídeo pode ver o Replay desse evento online que contou com a presença de Gonçalo Sousa (Diretor de Marketing) – Moderador; Pedro Dias (Especialista em Serviços de Emergência); Fábio Raia (Coordenador do Dispositivo de Salvamento Aquático dos Bombeiros do Concelho de Espinho) e Ruben Sánchez (Responsável Internacional OneUP).

 

 

Este evento online totalmente gratuito está integrado num plano anual dos TECVIEWS WEBINARS que corresponde a sessões organizadas pela TECNIQUITEL e visa particularmente a problemática dos afogamentos no nosso país, que são verdadeiras tragédias que desestruturam muitas famílias e têm reflexos diretos em milhares de pessoas.

Os tópicos que foram abordados neste evento foram os seguintes:

Dados Estatísticos. Quantas pessoas perdem a vida em Portugal derivado a acidentes e afogamentos nas nossas praias e rios?

Meios de Socorro. Como a falta de meios para assegurar a segurança nestas áreas pode ser considerada negligência grosseira.

Medidas de Segurança. Qual é a melhor forma de tranquilizar os utentes destes espaços de lazer? Quais as medidas e equipamentos?

Solução Revolucionária. Um objeto pioneiro está a mudar o conceito de segurança aquática como o conhecemos. Como é que o OneUP consegue salvar vidas?

Partilha este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.