Telefone: (+351) 219 154 600

Quais as causas e soluções de defesa para incêndios rurais?

Partilha este artigo

Os incêndios rurais também ditos como florestais são cada vez mais recorrentes e violentos. Acima de tudo constituem e impõem severos riscos para a vida das pessoas e edificados geralmente com elevado valor patrimonial.

Em Portugal, este tema tem suscitado muitas opiniões diversas e, infelizmente, várias tragédias que têm elevados custos para o nosso país. Neste artigo vamos abordar as causas, a realidade atual, a solução, os pressupostos e os equipamentos mais adequados para a defesa dos incêndios rurais.

Leia agora e comente, pois este espaço está aberto para todos os interessados neste assunto!

As causas dos incêndios rurais

Arvoredo resinoso com grandes alturas e grandes copas, em situações de baixa humidade, elevada temperatura e ventos fortes.

Quando a ignição se dá nestas condições é devastador, devido ao calor radiado e convetivo gerado, por sua vez este só é passível de extinção recorrendo a meios muito robustos e especializados mediante grandes quantidades de água aplicada.

Todavia a extinção pode ser potenciada recorrendo a produtos químicos retardantes (espumíferos) ou adelgaçantes permitindo assim reduzir a taxa de aplicação de água para extinção de 10l/min/m2 para cerca de 2l/min/m2, abaixo das quais a extinção não se faz.

A desorganização do ordenamento territorial e a construção arbitrária de edificado no interior, assim como bosques muito próximos de grande densidade carbonácea, aporta riscos imensos.

Estes perigos são potenciados ainda pela escassez de meios de socorro público para intervenção em situações de emergência, uma situação cada vez mais recorrente, tendo em conta as alterações climáticas.

A realidade dos incêndios rurais

As vivendas, ou outro tipo de edificados, construídas e inseridas nestes ambientes não raramente dispõem de piscinas, lagos ou tanques de grandes dimensões, que podem ser usadas como excelentes mananciais de água para alimentarem dispositivos de defesa e mesmo ataque a incêndios.

O calor radiante, essencialmente um fenómeno eletromagnético no espetro dos infravermelhos, basicamente a transferência de fotões, imensamente devastador e destrutivo, aconselha a que sejam mantidas distâncias de segurança na ordem dos 50 metros em relação a quaisquer objetos para onde se possa transferir.

O calor convetivo, a migração livre de eletrões, pode pôr em perigo a integridade física de todos os seres vivos, desde logo porque afeta profundamente as vias respiratórias e capacidades cognitivas. Este é outro risco que está presente.

A solução dos incêndios rurais

Quando a defesa contra incêndios rurais é feita recorrendo a pessoas não treinadas, não profissionais, muitas vezes sem estrutura física para este exercício e com reduzida mobilidade, o dispositivo a considerar para este efeito, para além de muito robusto e fiável, deve assentar em equipamentos de muito boa qualidade e fiabilidade.

Estas soluções com os desempenhos adequados, privilegiando o uso de equipamentos estáticos, conseguem trabalhar de forma interrupta durante períodos muito longos.

A defesa de combate a incêndios é feita recorrendo a água em quantidades muito grandes na ordem dos 2000 lpm e pressões úteis na ordem dos 7 bar, entregue por grupos moto bombas especializados também eles muito robustos para não serem destruídos pelo calor radiado.

Neste particular deverá ser prestada especial consideração à necessidade absoluta de que forma alguma a entrega de água, se interrompida de maneira abrupta em presença de um fogo, colocará de imediato em perigo as vidas dos seres vivos, pelas razões acima aduzidas.

Os pressupostos dos incêndios rurais

Nestas situações e na construção do dispositivo de defesa não pode haver timidez nem atavismo na eleição dos vários equipamentos a usar, não sendo de todo aconselhável a adoção de medidas “domésticas” baseadas em soluções simplistas ou economicistas, que não resolverão o problema e apenas aportarão falsos sentimentos de segurança.

Não raramente, seguindo mesmo as tecnologias e tendências arquitetónicas, são construídas casas em madeiras tratadas com grandes cargas térmicas, altamente combustíveis e que não são passíveis de seguro contra incêndios por parte das empresas seguradoras.

Estes ganhos no modo de vida e bem-estar, introduzem uma vez mais riscos acrescidos, que devem ser acautelados, criando condições adequadas para a sua defesa contra os fenómenos bem conhecidos e que se adivinham cada vez mais correntes. Existem até teorias e modelos que os projetam como suscetíveis de acontecer entre 6 e 10 vezes ano, independentemente da estação do ano.

Quais são os equipamentos adequados para incêndios rurais?

Nesta ótica, a TECNIQUITEL concebeu e agregou um conjunto de equipamentos especializados, pensado para uso nestas situações, que garante as prestações essenciais para um desempenho de excelência.

Estas soluções para Serviços de Emergência são capazes de serem instaladas no terreno em menos de 10 minutos e operadas por pessoas com o treino mínimo, sem esforço físico.

Partilha este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.