Telefone: (+351) 219 154 600 - (Chamada para rede fixa nacional)

3 tipos de Equipamentos de Proteção Coletiva que conhecemos

Share this article

Os equipamentos de proteção coletiva (EPC) são imprescindíveis quando, num mesmo local de trabalho, os trabalhadores partilham perigos comuns. Mas existem medidas que proporcionam uma proteção contra os riscos coletivos e que podem garantir a segurança e saúde de todos os trabalhadores, mesmo que estes não executem as mesmas tarefas.

Um caso exemplar dos Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC) são os extintores de incêndio. Se reparar com atenção, pode facilmente verificar que os extintores estão em todos os sítios, desde um grande estaleiro, uma obra de construção civil, até um escritório de dimensões reduzidas. Caso haja deflagração de chamas, estes EPC estão presentes e prontos para nos proteger em caso de incêndio.

Mas não devemos pensar que os EPC descartam o uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI). Não é verdade, pois ambos se completam e juntos formam um sistema de segurança e proteção dos trabalhadores que partilham um mesmo ambiente de trabalho.

Mas que tipo de dispositivos constituem os EPC e em que situações podem ser usados? Neste artigo recordamos alguns dos EPC mais habituais.

Quais são os equipamentos de proteção coletiva mais comuns?

Em certos casos, os EPC existem de maneira tão omnipresente que poucas vezes os consideramos como meios ou sistemas de proteção coletiva. É o caso das mangueiras, extintores e sistemas fixos de extinção (hidrantes), detetores de fumo, kits de primeiros socorros, redes de proteção, assim como outros tantos exemplos comuns de EPC.

Vamos ver alguns dos mais comuns.

O que são extintores?

Os extintores são equipamentos que possuem no seu interior agentes de extinção para serem projetados e dirigidos pela ação de pressão interna para suprimir um incêndio. São usados como ferramenta de primeira intervenção no combate a um incêndio numa fase inicial.

Qualquer pessoa pode manusear um extintor caso se verifique um pequeno foco de incêndio. Contudo, estes EPC têm várias restrições, pois a quantidade do agente de extinção, assim como o tempo de utilização, são limitados.

Em todo o caso, o êxito da operação depende se os extintores estão bem localizados, visíveis e ainda em perfeitas condições de funcionamento.

Do mesmo modo, o sucesso da supressão das chamas deriva de outros fatores tais como usar o agente de extinção apropriado para o combate ao tipo de incêndio iniciado, além de que deve ser usado numa fase inicial do combate ao fogo e o utilizador precisa de ter conhecimento prévio da forma como o extintor funciona.

O que são redes de proteção?

As redes de proteção são outro exemplo de EPC. Já todos nós as vimos aplicadas em inúmeras circunstâncias, desde o seu uso na construção civil até às redes para determinar e fixar os limites de uma escola ou jardim infantil.

Na qualidade de EPC, as redes de proteção encontram-se disponíveis em vários tipos e com finalidades diferentes. Talvez as mais conhecidas sejam as redes que abrangem edifícios em fase de construção, para evitar possíveis quedas e outros episódios inesperados de obra.

Na construção civil, inclusivamente, é habitual vermos os edifícios cobertos por uma rede de proteção, para evitar que objetos e fragmentos da obra possam cair, ferindo outros profissionais que se encontram a trabalhar noutros níveis da obra.

Além disso, também tem como função amortecerem as eventuais quedas de trabalhadores que executem trabalhos em altura.

Sabe o que são sistemas de sinalização?

Deixamos aqui outro exemplo bastante comum de EPC: a sinalética de segurança. Neste caso, a principal finalidade é avisar sobre a presença de diversos perigos, desde trabalhos de construção civil a acontecimentos inesperados que provoquem danos.

Existem vários tipos de placas de sinalização: desde luzes intermitentes que podem ser de cor laranja, vermelha ou verde, para sinalizar, designadamente, buracos em diversos tipos de pavimentos, desvios de trânsito, superfícies elevadas entre outros perigos, ou até cones de sinalização e inúmeros exemplos de sinalização de segurança.

Em conclusão, assinalamos mais uma vez que na fase de seleção dos EPC deve verificar-se, primeiramente, quais são os problemas mais importantes, assim como os perigos existentes em cada local de trabalho. É a partir dessa verificação que é possível determinar quais são os EPC mais apropriados para uma empresa.

Ainda quanto a EPC deve consultar profissionais especializados, para o aconselhar e ajudar a tomar as melhores decisões.

Leia também o nosso artigo Aprenda agora 50 razões porque deve usar os EPI com conselhos úteis e complementares sobre EPI.

Share this article

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *