Telefone: (+351) 219 154 600

Estudo de Caso Real com o Terminal Alarme Pessoal Protector Pro

A função “homem-morto++” (ManDown), transmite automaticamente um alarme se o portador ficar incapacitado, conforme aconteceu neste exemplo real que apresentamos neste texto.

Partilha este artigo

Durante a madrugada do dia 21 de Setembro de 2020, um trabalhador da Amorim Champcork estava a executar um serviço técnico no silo de uma caldeira quando caiu inesperadamente da altura de 1 metro e ficou imobilizado.

Devido ao facto de o funcionário ferido estar a usar o Sistema Alarme & Monitorização dedicado para trabalhadores solitários, desenvolvido e fabricado pela TWIG e comercializado em Portugal pela TECNIQUITEL, rapidamente o vigilante que se encontrava na portaria foi notificado da situação, estabelecendo contato com o trabalhador que, apesar das dores que sentia, informou o mesmo sobre o local onde se encontrava e o que lhe tinha acontecido. Recebida esta informação, o vigilante contactou de imediato um dos socorristas da unidade que foi em socorro do sinistrado até ao local do acidente.

Este é um exemplo prático de como o Sistema Alarme & Monitorização dedicado para trabalhadores solitários TWIG pode salvar vidas, nomeadamente o Terminal Alarme Pessoal Protector Pro, assim como outros equipamentos de tracking. Saiba mais neste artigo sobre este tipo de sistema, a legislação em vigor, assim como a descrição pormenorizada deste incidente.

Trabalhador ferido da Amorim Champcork

A importância da função ManDown do Terminal Alarme Pessoal Protector Pro

De facto, os empregadores, por força da legislação em vigor em sede da SST, têm como responsabilidade e dever prever e provisionarem os trabalhadores solitários com os meios apropriados para mobilizarem o socorro de que necessitem em caso de emergência, decorra esta de um estado de patologia aguda, acidente de trabalho ou mesmo assédio, situações cada vez mais potenciadas pelo envelhecimento da população e destruturação da sociedade.

Todas as tarefas profissionais estão obrigatoriamente sujeitas a uma avaliação prévia de riscos e, desde que estas sejam executadas de forma solitária, é requerido um dispositivo de alarme dedicado e devidamente aprovado para proteção e monitorização do trabalhador, por opção da companhia de um colega, uma condição que duplica os custos e cada vez mais difícil de garantir dada a exponencial redução da população ativa.

A função “homem-morto++” (ManDown), transmite automaticamente um alarme se o portador ficar incapacitado, conforme aconteceu neste exemplo real que apresentamos neste texto.

Assim, quando o portador do dispositivo entra em locais perigosos pode informar tal condição e solicitar o aumento da sua monitorização emitindo um “alarme âmbar”. E é também emitido um alarme para a ARC (Centro Monitorização & Receção Alarmes), com notificação do portador, se a rede GSM**** for perdida.

Este tipo de prevenção ativa apenas é possível com um aparelho como o Terminal Alarme Pessoal Protector Pro, um terminal portátil para alarme pessoal extremamente poderoso, suportado em tecnologia 3G/GSM/GNSS, concebido para monitorizar remotamente e proteger trabalhadores que desempenhem tarefas solitárias em ambientes ruidosos e muito exigentes, conforme preceituado nas regras de SST.

Local da Queda na Amorim Champcork

Cenário do Incidente na Amorim Champcork

As seguintes informações foram gentilmente cedidas por André Cavadas, responsável de Segurança no Trabalho da DSI – Direção de Sistema e Infraestruturas da Amorim Cork, a quem a Tecniquitel agradece sinceramente a colaboração e disponibilidade para a elaboração deste texto. Assinalamos ainda o testemunho na primeira pessoa prestado pelo funcionário que foi vítima deste acidente de trabalho.

Data, hora e local do incidente:

21/09/2020 – 03:44h – Caldeira da Amorim Champcork

Função do colaborador que foi alvo do incidente e a actividade que estava a desempenhar

“Caldeireiro que estava a desencravar um tubo de transporte pneumático de pó de cortiça.”

Descrição detalhada do que ocorreu e consequências para o trabalhador

“O trabalhador encontrava-se a desencravar um tubo de transporte pneumático de pó de cortiça para um silo que alimenta a caldeira quando se desequilibrou e caiu de uma altura de cerca de 1 metro, tendo ficado imobilizado no chão com dores.”

Comentário do Técnico HST sobre o que aconteceu e sobre a utilidade do TWIG para resolver o incidente

“De facto, o TWIG teve um papel preponderante no socorro ao nosso colaborador uma vez que o aparelho atuou prontamente, alertando o vigilante que se encontrava na portaria. O contacto telefónico levado a cabo pelo dispositivo possibilitou ao colaborador falar com o vigilante, informando o mesmo do local onde se encontrava e o que lhe tinha acontecido.

Recebida esta informação, o vigilante contactou de imediato um dos socorristas da unidade que foi em socorro do sinistrado até ao local do acidente.”

Comentário do funcionário sobre o que aconteceu e sobre a utilidade do TWIG para resolver o incidente “Durante o desenrolar das minhas funções, necessitei de subir até uma vigia do sistema de aspiração de forma a desencravar a mesma. Após ter desencravado a aspiração, desequilibrei-me na descida e cai. O TWIG deu o alarme para a portaria, tendo feito a ligação por voz ao vigilante que veio em meu auxílio juntamente com um socorrista.”

Terminal Alarme Pessoal Protector Pro

Partilha este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.